sábado, 18 de março de 2017

Placar Histórico: Bonsucesso 3 x 0 Fluminense em 14/03/1976.



Registro do 1º gol do Cesso. Foto: O Globo, 15/03/76.

No dia 14 de março de 1976, o Bonsucesso quebrou a “máquina tricolor” em pleno Maracanã ao vencer o Fluminense por 3 x 0. Os gols foram marcados por Wilson (1º T), Marquinhos e Tuca (2º T). Os campeões invictos do Torneio Valdir Benevento, realizado no mesmo ano nos meses de janeiro e fevereiro, apresentaram “um futebol cadenciado, de bons contra-ataques”, segundo matéria de O Globo (15/03/76). Pedrinho, grande arqueiro rubro anil, contribuiu para manter a goleada ao defender pênalti cobrado por Paulo César no 1º tempo. 

Ficha Técnica.
  
Os gols:
●1º tempo.

Aos 44’, Nilton cobrou falta, bola na área e Tuca chutou. Renato rebateu, Naldo emendou e a bola sobrou para Wilson que “fuzilou” no canto direito do arqueiro tricolor.

●2º tempo.

No início da etapa final, Cesso ampliou o marcador. Aos 2’, cabeçada de Naldo sobrou na direita para Marquinhos, que substituiu César no final do 1º tempo. Na hesitação do goleiro Renato, Marquinhos “encheu o pé” chutando entre a trave e o arqueiro tricolor.

Tuca encerrou a goleada aos 44’. O atacante rubro anil escapou livre do meio de campo, passou entre Edinho e Fernando e chutou forte para “fechar o caixão tricolor”.

 O Globo, 15/03/76. Acervo Marzulo Paladini.
 

terça-feira, 14 de março de 2017

"Fatos e Fotos": Os últimos lances da Série A 2017.



Robinho, Rafael Marques, Meireles e George em Moça Bonita no jogo Cesso x Tigres, última rodada. Foto: Ronaldo Nascimento.

O campeonato acabou, mas as lembranças ficam. Mesmo que sejam lembranças ruins pelo que passamos em 2017, mas, sobrevivemos ao “tsunami” que passou pelo campeonato da Série A com essa “tal de seletiva”, mascarada como 1ª fase e logo depois como consequência da má administração do futebol, o Grupo X. As boas lembranças estão nos encontros e nos abraços dos amigos de arquibancada que uniram seus corações para torcer desesperadamente pela não queda do Bonsucesso.
George e César - Moça Bonita - Cesso x Tigres. Foto: George Joaquim.

O amigo Ronaldo Nascimento (foto acima entre George e César - Bariri - Cesso x Portuguesa), torcedor “fanático pelo Cesso”, contribuiu para que as lembranças boas não fossem apagadas de nossas memórias. Foto: George Joaquim.

 Parabéns torcedores do rubro anil mais famoso do Brasil!
Até a Copa Rio ou rie A 2018!

César - Bariri - Cesso x Cabofriense.
 Daniel (esquerda) e Marcelão (óculos escuros) - Bariri - Cesso x Cabofriense

George e nona - Bariri - Cesso x Tigres.

 Nona, Meireles e George - Los Lários - Tigres x Cesso.

Meireles, Luizinho (ex-jogador do Cesso) e Robinho - Bariri - Cesso x Cabofriense.

Robinho, Daniel e Meireles - Los Lários - Tigres x Cesso.

Esquadrão Rubro Anil - Bariri - Cesso x Cabofriense.
 Esquadrão Rubro Anil - Moça Bonita - Cesso x Tigres.

Os últimos lances de 2017 - Bonsucesso 0 x 0 Tigres - Moça Bonita.
Duílio espiando a partida.
O "paredão rubro anil": Léo Flores.
João Carlos (aquecendo para entrar), com dois pontos no tornozelo, lutou pelo Cesso.
Manoel Neto, ex-campeão pelo Cesso em 2011, treinador do rebaixado Tigres.
Fim do jogo! Fim do campeonato! 
Bom sucesso a todos!


domingo, 12 de março de 2017

Enfim, Bonsucesso é Seletiva Série A 2018!



Julinho domina e recebe marcação adversária. Foto: Vitor Costa.

O Bonsucesso conseguiu sua classificação à seletiva Série A 2018 cumprindo uma regularidade: jogar mal. Ontem, ao empatar em Moça Bonita com o já rebaixado Tigres por 0 x 0, os “heróis do Duílio” comemoraram a fuga da “degola” e receberam aplausos de uma torcida que  sofreu e sentiu-se aliviada com a goleada da Cabofriense sobre o Carapebus/Campos por 4 x 1.  Durante a partida, a construção do placar em Cabo Frio tornou-se tão importante quanto o jogo do Bonsucesso. Se o Cesso não balançava as redes do Tigres, a torcida rubro anil comemorava cada gol do “tricolor praiano”. Enfim, acabou o sofrimento!

Comemoração em Moça Bonita. Foto: Vitor Costa.

Classificação Final Grupo X.
Clubes
Pontuação
Cabofriense
16
Bonsucesso
08
Carapebus/Campos
06
Tigres
01
Seletiva 2018 – Série B 2017.

Duílio, comandante da virada do Cesso. Foto: Vitor Costa.

O jogo.

Desde o apito inicial, quem procurou mais o gol foi o Tigres. Sentindo a falta de três titulares (Jussa, Ramon e Geovani) e de “peças de reposição”, Duílio armou a equipe para não perder a partida, mas os torcedores perceberam que o Cesso jogava esperando o outro resultado. O rebaixado “fera de baixada” criou as oportunidades mais claras de abrir o marcador e Léo Flores foi exigido para salvar o Cesso de uma vergonhosa derrota.

Parada técnica. Auxiliar de Duílio conversa com jogadores. Foto: Ronaldo Nascimento. 

Bonsucesso 0 x 0 Tigres do Brasil.
Competição: Campeonato Estadual Série A – Grupo X – 6ª rodada.
Data e local: 11/03/2017 – Estádio Proletário Guilherme da Silveira (Moça Bonita)/Bangu.
Árbitro: Daniel de Sousa Macedo.

Bonsucesso: Léo Flores; Wander, Américo, Vitor e Paulo Fernando; Julinho, Junior, Magno e Manfredini (João Carlos); Michael e Dudu (Rodrigo). Técnico: Duílio.

Tigres: Léo; Rafael Zuchi, Rodrigo Arroz e Verdini; Edilson, Thiago Medeiros, Ayrton (Ramon), Eberson (Diego Paulista) e Tiago Correa; Claudinho (Nathan) e Lucas Poli. Técnico: Manoel Neto.

 
Comemoração do Cesso. Foto: Ronaldo Nascimento.

O “Guardiola do Brasil”!

Foto: Vitor Costa.
◄O treinador Duílio foi homenageado pelos jogadores de uma maneira descontraída, irônica e como um desabafo. Em campo comemorando a fuga do rebaixamento, os atletas cantaram que o treinador era o “Guardiola do Brasil”. Em entrevista publicada pelo site FutRio (09/02/17) o diretor José do Egito ao aceitar a demissão do treinador Heron Ferreira, declarou após questionamento sobre a crise no Cesso, que se colocasse o Pep Guardiola, não resolveria o problema. Na ocasião, o time encerrou a 1ª fase da Série A sem vencer e na lanterna da competição. Ontem, os jogadores responderam ao dirigente, como declarou Léo Flores:

Esse grupo foi como fênix, renasceu das cinzas. Disseram que nem Guardiola daria jeito. O Duílio veio, conversou e nos deu motivação. Tem que respeitar o profissional. Ninguém é mais importante que a instituição Bonsucesso. Lutamos pela instituição e pelas nossas famílias. Pra quem falou besteira sobre a gente, isso é um tapa sem mão.

O treinador Duílio respondeu sobre essa homenagem do elenco:

Eu não fiz nada. Eles que fizeram. Os jogadores são guerreiros e foram os artistas de tudo o que aconteceu. Nós só demos um pequeno empurrão. Foi muito bom participar desse grupo e vamos agora curtir um pouco, pois eles podem colocar para fora o que estava entalado, e merecem pois são de muito valor e estavam se sentido pra baixo.



Duílio espiando o jogo. Foto: Ronaldo Nascimento.
  
A campanha.

Moça Bonita, campo do Bangu, empate de 0 x 0 entre Cesso e Tigres. Foto: Ronaldo Nascimento.

Foram dois meses de competição, 11/01 a 11/03, somando os jogos da 1ª fase e Grupo X. Da lanterna à classificação, Duílio foi o responsável pelas duas vitórias nesse período:


1ª fase e 1ª rodada Grupo X: Técnico Heron Ferreira ► 06 jogos: 02 empates, 04 derrotas. Gols ► Cesso: 05 – Contra: 12. Artilharia: Magnum, Rodrigo, Manfredini e Wander.



Grupo X (a partir da 2ª rodada): Técnico Duílio ► 05 jogos: 02 vitórias, 02 empates, 01 derrota. Gols ► Cesso: 03 – Contra: 01. Artilharia: Wander, Jussa (2) e Vinícius.